Concerto das Bouba mais a Máquina de Mallar

11 de Dezembro de 2017

bouba

Última estalotada do ano, primeira do curso!!

11 de Dezembro de 2017

estsalotadaa

Xosé Constenla ao vivo no Pichel

5 de Dezembro de 2017

xoséO 6 de dezembro teremos a Xosé Constenla polo nosso centro social apresentando o seu quarto trabalho “Virada por Avante”.
O concerto iniciará às 20h00 e o bilhete é gratuito

A Gentalha do pichel perante as violências machistas

22 de Novembro de 2017

Este 24 de julho um homem apunhalava a excompanheira em Compostela. A poucos metros, paradoxalmente, centos de antidistúrbios e polícias custodiavam a praça do obradoiro ante umha possível ameaça terrorista. Porém, ao terrorismo machista nom se lhe reconhece como tal ainda que seja o que mais vidas tirasse às mulheres nos últimos anos no Estado espanhol e engendre múltiplas formas de violência que nom serám freadas mediante campanhas propagandísticas, com um aumento do controlo policial ou com discursos assentados na sobreproteçom das mulheres mas com transformaçom social.

A violência institucional, judicial e social a respeito da questom de género é constante e por vezes invisível já que fai parte da mentalidade da sociedade patriarcal na que estamos inseridas e esconde-se atrás da hipócrita unanimidade social contra a violência machista.

A violência institucional exerce essa pressom mesmo quando pensa que está a fazer o contrário: banaliza a luita feminista com umha efeméride ritual o 25 de novembro via campanhas institucionais, como a deste ano da Conselharia de igualdade que reflicte mulheres cousificadas e engrandecidas que há que ‘coidar’ , numha clara mostra da concepçom social imperante da mulher: os nossos corpos e vidas som um património sobre o que legislar e gerir como se dum monumento se tratasse.

A violência institucional nom tem interesse por saber que é, como se exerce e como evitar as diferentes violências simbólicas e materiaise tira campanhas nas que dise a maltratas a ela maltratas-me a mim’(home) (como a campanha do ministério e da Xunta do 2013), ou porque ‘poderiam ser as nossas mulheres ou filhas’nom punindo umha agressom em si própria se nom lamentando o possível dano que pode causar aos homens que podem ter um vínculo afectivo com a pessoa agredida. Voltam situar o objectivo positivo nos homens, pretendendo evitar-lhes o desgusto dumha agressom contra algo da sua propriedade e eludem o facto de que se está a vulnerar a nossa liberdade e dignidade.

A violência institucional anima a denunciar, mas quando o fazemos a violência judicial porá em causa essa denuncia, responsabilizará a vítima e os méios de comunicaçom exerceram a sua própria violência com julgamentos públicos nos que se óbvia o necessário anonimato das vítimas que por cima som as que devem demostrar a veracidade do seu testemunho.

A violência institucional  di-nos que devemos ter coidado e coloca em nós a responsabilidade em vez de educar a futuros agressores para que nom o sejam.

A violência institucional e institucionalizada utiliza eufemismos como ‘relaçons sexuais nom consentidas’ para o que som violaçons ou ‘mulheres mortas’ quando som assassinadas. 

As associaçons e colectivos de base, os movimentos sociais de esquerda há muito tempo que escolhemos o trabalho constante e transversal à margem da via institucional e da maquilhagem exclusiva ‘do dia de’ mas também fazemos parte dessa sociedade por natureza patriarcal e deveriamos repensar qual é o nosso papel nessas mudanças necessárias: na forma de agir dentro dos colectivos, na nossa própria formaçom em chave de género, na revisom de roles e formas de relacionar-nos e em criar espaços seguros e livres de violências machistas .

Celebramos em rede o Dia do Património

15 de Novembro de 2017

dia patrimonio 2017

A Gentalha do Pichel é uma das arredor de 30 entidades da Rede do Patrimonio Cultural que fará alguma atividade para celebrar o Dia do Património.

III Conversas sobre a gestom cultural. Quarta-feira 15 de novembro, 19h00 no CSA do Sar, com:
- Asociación Cultural Ferrolterra Antiga
- Apresentaçom do polidíptico sobre o Megalitismo em Compostela (comissom de História)
https://www.facebook.com/events/2132906536821066/

Roteiro polo património megalítico de Compostela. Quinta-feira 16 de novembro, 17h00 Sairemos da Gentalha mas é preciso carro. O caminho é singelo, mas vai estar molhado e com lama
https://www.facebook.com/events/570230326647379/

Fred and The Perrys e Os Novos

13 de Novembro de 2017

fred

Noite de Punk e OI! O vindouro sábado 18 de novembro no Pichel!!!!. Nom, nom estamos no Londres da Thatcher nem no Nova Iorque de Reagan ainda que isto cada dia se pareça mais com aquilo, mas os sábados sempre ham ser sábados, e o vindouro sábado 18 nom é um sábado qualquer, o punk galego volve dar guerra em Compostela. Por um lado temos a OS NOVOS, esta veterana banda compostelana com gente que passou por bandas míticas como os Dirty Barriguitas, Samesugas, Royalties, Redullos ou Madame Germen, depois do seu assalto acústico tornam a eletrificar o seu original e pessoal punk 100% DIY que nom te ha deixar indiferente e umha cousa que sentimos que falta nestes tempos… Atitude!!!!
Polo outro, temos aos oisters FRED AND THE PERRYS, apresentando por fim o seu novo disco “NON HABERÁ PERDÓN”, editado há uns meses e mui celebrado dentro na cena punk / Oi!. 7 novos temas que seguem a linha do seu ep debute, força, melodia e muita carragem. Descarga de OI! Em galego para gente coma ti.

Já sabes, sábado 21 tens umha cita ineludível no CS. O Pichel (Rua Santa Clara 21, Compostela)
22:15. Estrita pontualidade. Bilhete: 5 euros /4 para soci@s.

III Magusto dos centros sociais

6 de Novembro de 2017

magustoccssChega o III Magusto dos Centros Sociais de Compostela!
Desde as 20h00 estaremos na praça 8 de março com foliada popular, castanhas de balde e ceia.

Palestra “Lei Depredaçom da Galiza”

6 de Novembro de 2017

meio

Festa de outono

30 de Outubro de 2017

outonoNa Gentalha celebramos o Outono com umha festinha! Programa completo e diverso:
- 10h30: saimos por cogumelos com a comissom de meio e depois cozinhamo-los
- 21h00: Paula Carballeira relata-nos os seus contos de Outono
- 22h00: cantamos e dançamos com o grupo de gaitas e percussom da Gentalha
Desde as 20h00 teremos petiscos de Outono e castanhas de balde.
*Esta festa forma parte da Iniciativa de Concertos Expansivos por un Monte Vivo #CExMV. Lera-se um manifesto e teremos umha caixa de resistência durante toda a jornada onde poderás achegar as tuas aportaçons económicas. O recadado irá destinado às pessoas afectadas polos lumes*

Roteiro polos cemitérios de Compostela

30 de Outubro de 2017

roteiro cemi