COMUNICADO DA JUNTANZA DOS CENTROS SOCIAIS ANTE O DESPEJO DO ESCÁRNIO

7 de Junho de 2017

faixaescarnioHá pouco mais de três anos que abreu o CSOA Escarnio e Maldizer. Desde entom realizarom-se alí grande quantidade de acçons e actividades: obradoiros de teatro, serigrafia, música; aulas de adestramento deportivo, acroioga, judo, boxeo, baile tradicional galego, pandeireta; infinidade de palestras sobre os mais diversos temas; feiras de tatuagens, jornadas libertárias, apresentaçons de livros, revistas, projectos e documentários; projecçons de cinema, representaçons de teatro e artes cénicas variadas, recitais poéticos, concertos de música de todos os estilos… ademais de dispor de unha extensa biblioteca, umha oficina de serigrafía e umha oficina artística, e de ser o local de grande quantidade de colectivos que faziam alí as súas asembleas e actividades.
Todo isto mantendo sempre uns princípios básicos: funcionamento asemblear, toma de decissons por consenso, trabalho voluntário sem ánimo de lucro, portas abertas, actividades sempre de balde, autogestom, cuidados mútuos e um firme compromisso com todas as causas sociais que defenden e procuram a liberdade.
O Escárnio converteu-se num eixo fundamental da vida de Compostela; nom poderiamos obviar as suas aportaçons nos últimos três anos. Os centos de pessoas que por alí passaron som testemunha de este facto.
Há também seis anos que a empresa inmobiliaria A Rosaleda comprou o edifício da Algália. Esta é umha construtora fraudulenta e especuladora. Umha empresa que nom paga às suas trabalhadoras nen às suas provedoras. Umha empresa que é responsável de que muit@s albaneis, carpinteir@s, electricistas, fontaneir@s ou escaiolistas nom cobrem e se atopem na rúa. Responsével de botar à rúa também @s antig@s inquilin@s do edifício a quenes expulsaron sem piedade das suas vivendas, ofertando-lhes umha mistura de ruína e disparatados alugueiros.
O edificio que pouco tempo antes albergara à Asociación Cultural Cantigas e Agarimos apodrecia agora, vazio e sem uso, abandono e ruína á espera dum “pelotazo urbanístico” que enchera as ánsias especulativas da inmobiliaria A Rosaleda. Abandono e ruína financiados, por outra banda, com o dinheiro dos bancos rescatados polo Estado. Estafa geralizada, a urbanística, para a que só as ocupaçons semelham soluçom. Directa ou indirectamente, o edificio da Algalia comprou-se com dinheiro de gente de Compostela. Assím pois, que menos que ter direito a empregar esse espazo?

Com este comunicado queremos solidarizar-nos comas nossas compañeiras.
Há un par de anos que A Gentalha do Pichel, a Asociación Xuvenil Ítaca e o CSA do Sar traballamosconxuntamente com o CSOA Escarnio e Maldizer: Entrudos, Magustos, Dia das Letras, Jogos Populares e mais projectos que tinhamos em mente. Afiançando e artelhando rede. Somos centros sociais que desenvolvemos o nosso trabalho de jeito autogestionado e com trabalho voluntário, com liberdade e independência, sendo honestas com nós mesmas e com vontade de difundir um activismo social e cultural participativo e nom dirigista, sem licenças e um tipo de lazer alternativo ofrecido a todas aquelas pessoas que desejam participar e fazer parte com nós do projectos e actividades. Por este tipo de filosofia e dinámicas dim que as companheiras do Escárnio som perigosas, criminais.
Somos Gentalha, somos Itaca e somos Sar. Se Escarnio é criminal, nós também o somos!
Dende a Juntança de Centros Sociais queremos manifestar o nosso total apoio ao Escárnio; estamos con vós e apoiamos-vos!

Solidarizamo-nos con vós e sentimos a vossa mesma raiba ao ver anos de traballo, esforzos, ilusións e sonhos decapitados de golpe entre bloques de formigom armado e pelotaços de goma.
Partilhamos com vós o desejo de criar espaços libertados, nos que a gente se sinta cómoda e a gusto, libres da violencia cotiá que cada dia nos esmaga. Lugares ceives e rebeldes, onde a gente cria, vive e transforma superando esta realidade. Onde as pessoas poden recuperarse a si mesmas coma pessoas. Que papel, que absurdo réxime jurídico pode negar isso?

Condenamos radicalmente a bestial intervençom da Policia, dos poderes públicos e a difamaçom e mentiras difundidas polos meios de comunicaçom lacaios do sistema. Todo o que podemos dizer sobre o acontecido a nivel repressom e manipulaçom meiática fica curto ante a magnitude do dano causado.

Companheir@s, seguiremos luitando, apoiando e trabalhando na construcçom de espaços de liberdade e de solidariedade. Seguiremos ocupando os coraçons da gente a golpe de autogestom e retiraremos um a un, cada bloque de formigom de cada janela e porta para construír con eles projectos tam dignos e valentes coma o CSOA Escárnio e Maldizer.

C.S. A Gentalha do Pichel – Asociacion Xuvenil Itaca – CSA do SAR