A Gentalha contra a lei de depredaçom de Galiza

17 de Outubro de 2017

cartaz lei depredaçom

Perante a aprovaçom por parte do governo autonómico do PP da Lei de Fomento de Implantaçom de Iniciativas Empresariais de Galiza, ou mais corretamente a Lei de Depredaçom da Galiza, a comissom de meio da Gentalha do Pichel quer fazer as seguintes consideraçons:

1.- Entendemos esta Lei como um preocupante ataque nom só estritamente ambiental, mas também económico, por considerarmos a terra e o entorno natural o fundamental meio de vida e subsistência. A modificaçom de leis prévias, até propostas polo próprio PP, pretende favorecer mais a rápida implantaçom de grandes multinacionais do setor eólico, mineiro, acuícola ou forestal, facilitando-lhes o acesso ao solo, rebaixando os controis e requerimentos ambientais, minimizando a capacidade dos concelhos para regular o território municipal e abrindo a via da expropriaçom urgente com mínima capacidade para alegar e ridículas indemnizaçons para as pessoas posuidoras da terra. Na prática, a Conselharia de Indústria terá mais competências que as restantes, nomeadamente que a Conselharia de Meio ambiente e ordenaçom territorial que fica mais que nunca reduzida a um gavinete subordinado e incompetente na sua matéria de gestom. Incide-se assim na conversom do meio numha mera fonte de recursos susceptível de ser esquilmada por umha indústria que gera enormes impatos ambientais e económicos, e condena definitivamente a vida no meio rural.

2.- Denunciamos pois, a irresponsabilidade do governo da Junta por continuar a antepor os interesses do grande Capital frente a defesa ambiental e do meio rural galego e consideramos esta lei mais umha mostra da marcada aposta neoliberal do PP e do seu mais absoluto despreço pola Galiza e o seu entorno natural.

3.- Vinculamos esta atuaçom irresponsável com a recente vaga de lumes que está a assolar o nosso país num flagrante exemplo de terrorismo ambiental e de neglicência no cuidado e gestom do nosso entorno natural. Sem ambiguidades nem maniqueismos, a Galiza está a ser destruída por um modelo socio-económico criminoso e os seus gestores som os culpáveis por este desastre e polo silenciamento informativo com pretensons de normalidade.

4.- Mostramos também a nossa funda preocupaçom com o facto de o projeto de lei ser apresentado aproveitando um contexto político e mediático fortemente monopolizado polo referéndum de Catalunya, conseguindo assim passar desapercebido mediaticamente, afundando na alarmente desinformaçom do povo a respeito das questons que mais nos afetam e evitando a contestaçom social perante umha lei que converte a Galiza num território legalmente indefenso ante a irracionalidade e a irresponsabilidade do sistema capitalista.

5.- Por todo isto, a Gentalha do Pichel é um dos coletivos que conformamos a Plataforma contra a Lei de Predaçom de Galiza, que tem previstas iniciativas para informar ao conjunto da populaçom galega e contestar a um texto legal com enorme trascendência para o nosso país e que afunda nas políticas desencadeantes do desastre ambiental que estamos a padecer. Umha das açons previstas será umha mobilizaçom nacional este domingo 22 de outubro às 12h horas na Alameda de Compostela, à que chamamos ao conjunto da vizinhança compostelá a participar.

NOM À LEI DE PREDAÇOM DA GALIZA

Comissom de Meio da Gentalha do Pichel

Compostela, Outubro de 2017