cozido de entruido

25 de Fevereiro de 2019

celebramos o entruido com um cozido e umha festa de disfarces. Será o sábado 2 de março às 14h00. 13€/15€ nom associadas. Reservar antes da quinta 28 mandando um mail a gentalha@gentalha.org ou no próprio centro social.

455216725_149389 festa entruido

Atividades semanais – Do 18 ao 24 de Fevereiro

19 de Fevereiro de 2019
FEVEREIRO 2019
20
quarta-feira

Projeçom do Cineclube

Ás 21.30

he-stands-in-the-desert-counting-the-seconds-of-his-life-e1550158899432

El está en pé nun deserto a contar os segundos da súa vida
(He Stands in a Desert Counting the Seconds of His Life, Jonas Mekas, EUA, 1986, 149′, VOSG

 

 

FEVEREIRO 2019
21
quinta-feira

Jornada de trabalho para pintar o local de ensaio

Ás 16.30

 

 

 

 

 

jornadat

FEVEREIRO 2019
22
sexta-feira

Convergências Portugal-Galiza

Ás 22.00

coverX

FEVEREIRO 2019
23
sábado

Milonga do Pichel

Às 20.00

milongaaa

O GÉNERO DA TRADIÇOM

19 de Fevereiro de 2019

Desde a Comissom de Cultura organizamos estas jornadas sobre Património Imaterial e Género para tomar a história pola mao, tecer fios invisíveis e revisar juntas os estereotipos sexistas que nom queremos na nossa cultura.
- 14 março às 2oh: “A História pola mao: oralidade, criaçom e afeitos” com Faia Díaz
- 21 março às 20h: “Os fios invisíbeis: o papel da mulher na música de tradiçom oral da Galiza” com Xulia Feixoo.
- 4 de abril às 20h: “Andar cos tempos: um convite a rever o baile tradicional com perspectiva de género” com Carme Campo e Chus Caramés.

455018361_184828Imagem do cartaz: Sabela Iglesias.

 

Conflitos ambientais na comarca de Compostela

5 de Fevereiro de 2019

conflitos ambientais

Pola Candelória… coplas do bom querer!

31 de Janeiro de 2019

POLA CANDELÓRIA…COPLAS DO BOM-QUERER!

É sabido que no 2 de fevereiro, o dia da 51074248_2263751287228593_5879640491116462080_oCandelória, médio inverno vai fora. Assi lémbrano-lo o refraneiro popular que com ditos como “Pola Candelaria casam os passarinhos e vai-se a galinhola”, ou “de Candelória em diante, ningumha ave voa soa”, reafirmam já os primeiros grumos da primavera e com ela, o triunfo da luz e do amor da mam da senhora da Luz, como é chamada a Candelória no norte de Portugal.

Muito se tem escrito, cantado e falado sobre o amor, e em muitas destas mensagens arraigou-se a crença de “quem bem te quere, fará-te sofrer”. O amor e a dor som cousas muito diferentes. Um relacionamento baseado na reciprocidade nom terá nunca na sua composiçom um aditivo tóxico nem venenoso.

Nom somos seres perfeitos e a nossa forma de querer também nom o é.

O amor nom é incondicional, ou nom deveria sê-lo: se nom há condiçons para amar, se amar doe, se nom nos tratam bem.. entom nom é possível construir umha relaçom amorosa. O amor autentico é terreal e precisa condiçons, quer limites e fronteiras que salvaguardar, quer espaços privados que respeitar e harmonias que manter en adequado equilíbrio.

O amor é umha forma de relacionar-nos com o mundo, por isso nom pode fechar-se num só relacionamento, nom podemos exigir a ninguém que alivie egoístas soidades nem cobra toda a nossa necessidade de afeto. Aprender a amar desde a liberdade, nom desde a necessidade.

Um amor que nom custa penas, um amor que vale as alegrias.

A nossa forma de amar é patriarcal, cada cultura constrói a sua estrutura emocional e os seus patrons de relacionamento desde umha ideologia concreta, por isso a nossa forma de amar é patriarcal e capitalista.

O patriarcado segue vivo nos nossos coraçons e tem umha boa saúde.  O “milagre” romântico ilha-nos das demais pessoas, mantém-nos enganchadas a umha utopia individualista e ilhadas de qualquer utopia social. Para o patriarcado nom há nada mais perigoso do que as mulheres unidas, alegres e empoderadas. Por isso é tam importante falar em termos políticos das nossas emoçons e relacionamentos.

Está é a revoluçom amorosa que se está a fazer desde os feminismos, umha revoluçom sexual, afetiva e de cuidados.  Esta revoluçom quere rachar com as luitas contra as mulheres, entre as mulheres e contra nós mesmas: aprender a querer-nos bem para poder amar às demais pessoas.

O verdadereiramente revolucionário será o dia que o amor rache a barreira do duo e poda expandir-se para cambiar toda a nossa forma de organizar-nos e relacionar-nos.

O  romântico é político, e é por isso que desde a Comissom de Cultura da Gentalha do Pichel, queremos resgatar aquelas coplas da nossa tradiçom oral transmitidas de geraçom em geraçom que falam do bem-querer, do amor como ferramenta maravilhosa para a transformaçom individual e coletiva, associadas a estes passarinhos que, com a chegada da senhora da luz começaram a anunciar a primavera com os seus chios.

 

[O preço é de 1postal/1€ - - - - 8postais/5€]
[Podedes consegui-los no Pichel]

Atividades semanais – Do 28 de Janeiro ao 3 de Fevereiro

28 de Janeiro de 2019
JANEIRO 2019
30
quarta-feira

Projeçom do Cineclube

Ás 21.30

iosseliani-e-houbo-luz

E houbo luz
(Et la lumière fut, Otar Iosseliani, Francia/RDA/Italia, 1989, 105′, VOSG)

 

 

JANEIRO 2019
31
quinta-feira

Estrea da curta-metragem “O que precede a caída é branco”

Ás 20.00

 

 

 

 

 

IMG_20181211_134642Atividades da estrea:
→Estrea da curta-metragem “O que precede a caida é branco” de Aldara Pagán
→Exposiçom fotográfica da rodagem de Iria Loira
→Pinchada de Elba Souto

FEVEREIRO 2019
1
sexta-feira

Concerto de apoio ao novo local de ensaio da Gentalha

Ás 22.00

bruaoima

FEVEREIRO 2019
2
sábado

Ato de comemoraçom polo XV aniversário da Gentalha do Pichel

Às 11.00

cartaz XV aniversário

XV aniversário da gentalha do pichel

27 de Janeiro de 2019

cartaz XV aniversário

O sábado 2 de fevereiro celebramos um ato comemorativo aberto ao público no Museo do Povo Galego, em Compostela, o mesmo cenário onde há 15 anos nasciamos na  assembléia fundacional.

Será às 11.00 no salom de atos do MPG e contará com as intervençons de algumas pessoas em representaçom de colectivos relacionados ou impulsionados pola associaçom e contará também com as atuaçons musicais de Tralo-Valo.

Queremos celebrar que levamos 15 anos de activismo a reivindicar e promover na cidade um ócio e cultura de base, em galego, oferecendo semanalmente umha agenda de cursos, concertos, palestras e obradoiros.

15 anos na defesa dumha identidade nacional, dum ócio, dumha cultura que vai da mao do respeito ao meio natural e a consciencia da terra, da recuperaçom da memória histórica roubada e da cultura própria, alternativa, em galego.

Atividades semanais – Do 14 ao 20 de Janeiro

15 de Janeiro de 2019
JANEIRO 2019
16
quarta-feira

Projeçom do Cineclube

Ás 21.30

ceneine

As extraordinarias aventuras de Mister West no país dos bolxeviques
(Необычайные приключения мистера Веста в стране Большевиков [Neobychainye priklyucheniya mistera Vesta v strane bolshevikov], Lev Kuleshov, URSS, 1924, 94′, VOSG)

 

 

JANEIRO 2019
19
sábado

Concerto de apoio ao novo local de ensaio da Gentalha

Às 22.00

novotecorDesde a Gentalha queremos habilitar um espaço no Pichel para construir um local de ensaio para bandas. Para isto temos umha campanha de recadaçom de fundos. No bar do centro social há dous petinhos nos que podes fazer aportaçons. Como prato forte desta iniciativa começaremos com concertos de apoio. O primeiro terá lugar o sábado 19 de Janeiro ás 22h00 com os grupos OS NOVOS e Tecor Societário.

Tecor Societário é um grupo de punk folk que mistura sons populares e instrumentos tradicionais galegos com ritmos do punk, combinando voz, gaita, mandolina e acordeom com guitarra, baixo e bateria.
Em 2018 publicarom o seu primeiro EP, um disco com 3 temas que está pendurado no canal de youtube do grupo e também editado em formato físico.

https://www.youtube.com/channel/UC29EEHm8OdUkjMieFjLEl3w

Os Novos é um trio de Compostela que nos últimos tempos anda a experimentar o formato acústico, chegando ao palco com guitarra, baixo acústico e umha pandeireta fazendo as labores da bateria, incluindo às vezes mandolina e banjolele. Com este mini-set defendem o seu repertório de temas próprios e versóns de punk e rock’n'roll com espírito country e bluegrass, ao que ultimamente se referem como “punkgrass”.

Com este formato gravarom um single 7” intitulado “Assalto Acústico” no que colaborarom Caxade (acordeom) e a Ukestra do Medio (ukuleles, cajón e coros).

https://osnovos.bandcamp.com

Atividades semanais – Do 7 ao 13 de Janeiro

8 de Janeiro de 2019
JANEIRO 2019
11
sexta-feira

III Foliada aberta

Ás 20.00

3foliada

Chega a segunda Sexta-feira de mês e com el a primeira foliada aberta do 2019! A partir das 20h e ate as 01h30, trai o teu instrumento, vontade de dançar e vamos armar a festa!

 

JANEIRO 2019
12
sábado

Concerto de Flúe mais Cabodano

Às 22.00

fluecabodano

III eclosom, o certame das músicas emergentes do pichel

8 de Janeiro de 2019

eclosom2019Umha nova ediçom do Eclosom, o certame das músicas emergentes que organizamos da Gentalha do Pichel, bota andar neste 2019. O objetivo principal polo que foi criado o concurso, ajudar e dar visibilidade a aquelas formaçons musicais com presença de mulheres e que cantam em galego, continua a estar vigente. É justo reconhecer que já som diversas as iniciativas que tenhem surgido nos últimos tempos para fazer ver que as mulheres estám presentes, e cada vez mais, num mundo tam masculinizado como é o da música. Aliás, percebe-se cada vez umha maior sensibilidade por parte das programadoras e os numerosos festivais organizados por associaçons culturais como a nossa, para incluir nos cartazes bandas galegas de ou com mulheres, minimizando o absoluto deseleixo que desde as instituiçons se mostra nom só no referente á igualdade de género mas também do galego. Porém, continuam a ser escasas as bandas de mulheres e mesmo insignificante a presença feminina nos cenários galegos. Queremos dar visibilidade a essas músicas que sabemos que existem, conhecer o seu trabalho e desfrutar do seu talento; que sirvam de referente a todas essas moças que vem o mundo da música como algo hegemonizado polos homens.

Sendo o galego umha língua que passa nestes tempos por um estado crítico, de perda contínua de falantes, é um facto que repercute também na outrora fértil cena musical galega. Observamos nos último tempos certo estancamento na apariçom de bandas do País e a falta de relevo geracional das já consolidadas, e olhamos com preocupaçom o predomínio das bandas foráneas em boa parte dos festivais. Vemos entom necessário impulsar na medida das nossas possibilidades as bandas que estám a dar o seus primeiros passos ou que se estám abrindo caminho.

Os Centros Sociais galegos temos demostrado a capacidade para programarmos música às margens dos circuítos da cultura dominante, mais interessada no lucro económico do que na difusom dum dos elementos mais relevantes da cultura atual. Da Gentalha achegamos o nosso graozinho de areia lançando este certame que já vai pola sua terceira ediçom.

Aliás, o nosso compromiso com a música galega nom fica apenas em factos pontuais como este certame anual ou a cessom do centro social para toda banda que deseje ter um espaço no que atuar. Também sentimos a necessidade de apoiar a música em galego com a construçom dum local de ensaio onde tenham cabida todos os estilos. Por isso o prémio para a banda ganhadora deste ano, além do conteúdo económico e a atuaçom na festa do dezassete, será o uso gratuito durante um ano do nosso futuro local de ensaio.

O certame:

O sistema elegido para a realizaçom do concurso será, como nas ediçons anteriores, o máis participativo possível.

Apartir da apresentaçom do concurso e da publicaçom das bases do mesmo abrira-se um período de tempo para que as formaçons acheguem o seu trabalho. Acabado este período de tempo seleccionaran-se aquelas formaçons que cumpram os requisitos do concurso e seram apresentadas nas nossas redes sociais. Começará entom um período de votaçom no que o público decidirá que bandas devem ser as que cheguem à final. A final será na Gentalha numha espécie de “gala” na que se baterám as bandas finalistas. Nesta gala haverá também umha votaçom popular para escolher a melhor banda e um júri que dará também o seu veredito.

Bases

I. O certame de bandas emergentes tem o objetivo de promover as novas bandas em galego e com presença feminina.

II. Será requerimento necessário para poder participar no concurso:

- cantar em galego

- contar com a presença de mulheres

- nom ter publicado nengum disco e ter polo menos 4 cançons de criaçom própria em galego

- as comunicaçons das bandas nas súas redes sociais tenhem de ser em galego

- nom ter chegado à final nas ediçons anteriores do certame

- as letras nom podem conter mensagens sexistas, homófobas, xenófobas, racistas ou qualquer outro tipo de discriminaçom.

III. Para inscrever-se os grupos devem mandar à gentalha@gentalha.org um mail com:

- arquivos de áudio de polo menos 2 dos seus temas

- umha pequena biografia do grupo e umha fotografia

- links às redes sociais e vídeos no caso de dispor delas

IV. O praço para apresentar-se ao certame acaba o 28 de Fevereiro de 2019 às 23h59.

V. As finalistas serám 3 bandas, todas elegidas através do voto popular nas redes sociais da Gentalha.

A banda ganhadora sairá de umha gala final que terá lugar em Abril de 2019 na Gentalha do Pichel e na que cada banda tocará um máximo de meia hora. Será seleccionada por um júri (que daremos a conhecer mais adiante) formado por músicas, pessoas de meios especializados e umha pessoa representante do Pichel, junto à decisom do público presente que também participará na eleiçom com o seu voto.

VI. A banda premiada dara-se a conhecer na gala final e o prémio consistirá em 300€, a atuaçom nos concertos da Festa do Dezassete em Compostela e o uso gratuito durante um ano do futuro local de ensaio do Pichel.

VII. A participaçom no concurso implica a aceitaçom das bases do mesmo.