A RESPEITO DO ASSÉDIO FASCISTA CONTRA A GENTALHA DO PICHEL

18 de Setembro de 2020
O passado 1 de setembro abríamos de novo o centro social após 6 meses com as portas fechadas por causa da COVID. Como agente comprometido com a saúde coletiva, dotamo-nos dumha série de medidas de higiene sanitária como o uso de máscara obrigatório, o mantimento da distância mínima de segurança e todas aquelas recomendaçons da comunidade científico-sanitária.
Igualmente, a Gentalha é um agente social comprometido com os valores básicos de democracia, assemblearismo, autodeterminaçom e memória histórica. Por isso mesmo, figemos público um cartaz no que instávamos a nom aceder ao centro social com máscaras que luzam simbologia que bate frontalmente com os nossos princípios básicos. Mas é a atual bandeira do Estado espanhol um símbolo antidemocrático? Da Gentalha entendemos que sim.
Entendemos que sim, nom apenas polo imprescindível exercício de memória histórica que nos impede esquecer que a atual bandeira espanhola foi imposta por umha ditadura militar fascista. Também polo que representa na atualidade. Para além dos discursos da superaçom do passado e da resignificaçom dos símbolos, da Gentalha entendemos que a bandeira de Espanha segue a representar um Estado que conserva umha instituiçom anacrónica, profundamente antidemocrática e corrupta como a monarquia, que se nega a reconhecer o direito de autodeterminaçom e o exercício da livre eleiçom, que mantém em andamento campanhas repressivas contra o independentismo galego organizado politicamente, que ergue um enorme valado de separaçom com o continente africano ou que continua a celebrar o saqueio colonial de suramérica.
Por tudo isto nom nos surpreende que aquelas pessoas mais ofendidas com o cartaz fossem precisamente as mesmas que lotavam as nossas redes sociais de mensagens com proclamas fascistas, nostálgicos do regime iniciado no 36 que, com a cumplicidade das instituiçons do Estado tenhem cada vez mais campo livre para difundir o seu discurso, esse sim, totalitário, supremacista e machista. Um discurso de ódio que ganha adeptos graças nom apenas a forças políticas ultraespanholistas, que rapidamente denunciárom nas suas redes sociais “as manifestaçons de ódio” da Gentalha, mas também graças à intoxicaçom mediática que nom duvidou em fazer-se eco da notícia entre dúzias de mentiras.
A Gentalha do Pichel é um centro social autogerido, que se mantém graças ao trabalho desinteressado e o esforço económico de dúzias de ativistas, que nom depende de subvençons públicas e que continuará trabalhando na normalizaçom da língua, na recuperaçom da nossa história, na preservaçom do meio natural, na conservaçom da riqueza cultural e patrimonial, na divulgaçom da cultura científica, na igualdade de género e a liberdade sexual, no desporto popular e de base, no ensino popular e na contrainformaçom, ou o que é o mesmo, seguiremos a trabalhar pola higiene democrática do nosso país.
Por último, queremos agradecer aos numerosos coletivos e, em especial, aos restantes centros sociais do país que mostrárom a sua solidariedade connosco. Juntas fazemos país.
Nom passarám!
Conselho Geral da Gentalha do Pichel.
18.09.2020
119842773_2730100923926958_3179195857107263170_n

PILHAGENS OU REDES DE SOLIDARIEDADE?

15 de Setembro de 2020
Recentemente a Gentalha do Pichel tem sido vítima dum par de roubos no local social e agora sabemos que furtos do estilo estám a suceder-se também em pequenos negócios e mesmo associaçons e sindicatos.
Se bem no nosso caso nom supugérom quantias económicas muito importantes, sim gerárom significativos desperfeitos materiais e mermárom a caixa já de por si modesta nos tempos que atravessamos.
Da Gentalha somos conscientes de que as condiçons de vida da nossa classe estám cada vez mais depauperadas, situaçom agravada pola crise derivada da pandemia. Somos conscientes também de que pretendem divulgar o medo através da manipulaçom mediática que sobredimensiona as consequências de ocupaçons de vivendas e dos roubos em grandes propriedades para conseguir que sejamos as de abaixo as que demandemos mais controlo policial e medidas legáis que nos deixem indefesas perante a classe dominante.
Conscientes de todo isto também queremos manifestar o nosso firme rechaço a quem rouba e dana em pequenas lojas ou negócios locáis da vizinhança e ainda mais em projetos autogeridos que, como a Gentalha, nom tiramos qualquer lucro individual e tenhem como única razom de ser o benefício coletivo.
Face o individualismo e o “salve-se quem puder” que nos impóm o capitalismo, da Gentalha mais umha vez propomos redes de apoio mútuo, solidariedade e organizaçom coletiva.
Só o povo salva o povo.
119647232_2726962904240760_1797750380307408246_o

cursos da gentalha 2020/21

8 de Setembro de 2020

cartaz_cursos_20_21

Voltamos com os cursos do Pichel, ajuda-nos a que se mantenham e nutrir o Centro Social!

Mais um ano retomamos a nossa actividade cultural a través dos cursos, pois som básicos para a vida do centro social a nivel económico, ao tratar-se dum projeto totalmente autónomo e autogerido, mas também a nivel associativo, já que deles surdem novas activistas, muitas amizades, ideias que quecem O Pichel e lhe dam razom de ser. É por isso que, também neste ano difícil, queremos voltar a oferecer-vos os nossos cursos, mas sempre tentando cuidar-nos a todxs.

Para isso, este ano, em todos os cursos e actividades será preciso:

- Uso de máscara durante todo o tempo que se permaneza no Centro Social, incluindo o momento da actividade.
- Uso de pantalha nas aulas de gaita e requinta durante toda a actividade.
- Desinfeçom de mans e calçado a través do hidrogel e do felpudo higenizante que o C.S disporá
- Associar-se á Gentalha (quota mínima mensal de 3€)
- Nom assistir à actividade si se padece algum sintoma de Covid-19
- Avisar ao C.S caso se confirme possitivo ao virus.

O Pichel compromete-se a:

- Desinfectar entre actividades.
- Ventilar durante, polo menos, 15 minutos.
- Garantir rátios protocolárias (atualmente grupos de 10 pax) em todos os cursos.
- Nalgúns cursos, possibilidade de aulas semipresenciais no caso de que se supere nas inscriçons a ratio protocolaria. Seriam aulas que combinariam, de forma quincenal e alterna, a asistencia presencial e contidos em linha. No caso de que a inscriçom nom superasse a ratio protocolaria ou que as restriçons cambiem, estas aulas passariam a ser totalmente presenciais. (Constam na descripçom com um *)
- Extraer o ar durante as actividades. (Quando houver possibilidade usar espaços exteriores).
- Proporcionar hidrogel para mans e calçado.

Cursos sem matrícula ——– Depósito dumha mensalidade a maiores a começo do curso que será devolto no caso de avisar com um mês de antecedência da baixa do curso. O pessoal que fique até o fim do curso nom terá que pagar o último mês graças a este depósito ——– Preço mensal ———– Pagamento na primeira semana de cada mês.

Inscriçom em cursos@gentalha.org
Dúvidas e mais informaçom em cursos@gentalha.org ou no Centro Social de terças-feiras a sábados de 19h a 22h.

Ler mais »

o cs o pichel retoma a sua atividade

29 de Agosto de 2020

Voltamos!

Onte tivemos umha jornada de limpeza, desinfecçom e acondicionamento do local para tentar fazer do Pichel um espaço seguro nesta nova fase de abertura. Desde esta terça, 1 de setembro retomamos a atividade abrindo.
Estamos a organizar os cursos que voltaram em outubro e em breve anunciaremos as novidades ao respeito derivadas da situaçom COVID.
Animamos-vos a apoiar o projeto neste momento (difícil também no económico) associando-vos, fazendo parte das comissons de trabalho ou visitando o Pichel.

Por um tecido associativo vivo, apoia os centros sociais e a cultura segura!
118554700_2712024835734567_4156944335431585648_o

Por umha Galiza livre, longa vida aos centros sociais!

25 de Julho de 2020

Por umha Galiza livre, longa vida aos centros sociais!

Com ou sem pandemia, as pessoas que conformamos a Gentalha sabemos que o 25 de julho nom é um dia qualquer.
O 25 de julho, Dia da nossa Pátria, da nossa Mátria, representa nom apenas a pervivência de um povo que com as suas contradiçons, segue a reconhecer-se como galego mas também e sobretudo, representa o decidido caminhar de múltiplos projetos que acreditamos na necessidade da organizaçom popular para recuperar a soberania da Galiza.
Os Centros Sociais forom e som um agente fundamental na nossa construçom nacional e da Gentalha somos conscientes do longo mais também fermoso trabalho que temos entre maos.
Porque a Galiza transformadora, a Galiza que normaliza a sua língua, a Galiza que constrói a sua própria cultura, a Galiza que conhece a sua história e reivindica às suas luitadoras, a Galiza que aprecia e protege o seu meio natural, a Galiza que combate o Patriarcado, a Galiza que cria a sua própria escola, a Galiza da luita sindical, da solidariedade e a luita antirepressiva, da juventude rebelde, da contrainformaçom…essa Galiza existe, ninguém a pode calar e da Gentalha queremos ajudar-lhe a fazê-la medrar.

Viva a Galiza ceive!
Viva o 25 de julho!
110153374_2681647945438923_6350215711408878517_n

Apresentaçom do livro ‘Nacionalismo e Anarquismo na Galiza (1840-1940)’

21 de Julho de 2020

Apresentaçom do livro ‘Nacionalismo e Anarquismo na Galiza (1840-1940)’ com os autores Dionisio Pereira e Eliseo Fernández, publicado por Edicións Positivas.
Para manter as normas de seguridade do centro social rogamos confirmar assistência em gentalha@gentalha.org

110161991_2674898982780486_5427007112523655082_o

apoia a gentalha!

26 de Junho de 2020

Apoia os centros sociais. Apoia a Gentalha! ☂️☂️☂️

Quem somos?

Somos um grupo de compostelanas que levamos 15 anos a fazer ativismo cultural na nossa cidade e comarca. A língua e cultura galegas, a vontade de aprender e difundir a nossa história, a nossa música… som os nossos eixos de trabalho. A nossa associaçom gere o centro social O Pichel em Santa Clara 21.

Por que é importante apoiar a Gentalha?

A Gentalha é umha associaçom autogerida, que nom depende de nengum organismo público nem privado, e que obtem os seus fundos das suas associadas e das atividades que organiza. Organizamos cursos, roteiros, concertos, palestras, festas… Sempre com umha perspectiva crítica, popular e nacional. Nestes 15 anos temos colaborado na criaçom de iniciativas como as escolas Semente, a equipa de futebol gaélico Suévia e a Liga Gallaecia de futebol gaélico. Algo tivemos a ver também na difusom da figura do Apalpador.

O nosso centro social é lugar de reuniom, recursos e organizaçom de atividades para multitude de coletivos e um centro de atividade cultural e política da cidade.

A crise da COVID pom-nos numha situaçom mui delicada e, mais do que nunca, precisamos do teu apoio e participaçom.

Como podes colaborar com a Gentalha?

Existem muitas formas de colaborar com a nossa associaçom. Algumhas delas som:

Participar nas nossas comissons de trabalho. Organizamos a nossa actividade arredor de distintos eixos. Atualmente estám ativas as comissons de Cultura e novas criaçons, Defesa da língua, História, Meio Natural e Cultura científica. O ano que vem impulsaremos a Comissom antituristificaçom. Se estás interessada em participar, podes encaminhar um correio a gentalha@gentalha.com e daremos-che toda a informaçom que precisas.

Participar nas nossas actividades e cursos. Atualmente estamos a trabalhar na programaçom da Universidade Popular que organizamos todos os meses de julho.

Emprega o nosso centro social. Por mor da crise da COVID, o nosso centro social nom está aberto ao público, mas pode-se reservar para fazer reunions, atividades e para o uso do nosso local de ensaio. Podes reservar o seu uso 48 horas antes enviando um mail a gentalha@gentalha.org.

Fazer-te sócia. Neste momento, o teu apoio económico é mais importante do que nunca. A crise da COVID fai que muitas das atividades com as que nos sustentavamos se vejam agora mui limitadas. Além disso, ser associada tem vantagens como descontos em cursos e concertos. Podes fazer-te sócia aqui.

106004645_2657025741234477_4908466363068421543_o

UNIVERSIDADE POPULAR DE VERAO 2020

25 de Junho de 2020

Mais um verao, e este verao mais que qualquer outro, evita as aglomeraçons e contagia-te de conhecimento na Universidade Popular da Gentalha.

De 6 a 17 de Julho, programamos diferentes cursos onde dúzias de pessoas partilharám saberes, experiências e reflexons. Este ano esticamos os cursos no tempo e também no espaço, polo que a Universidade durará quase duas semanas para evitar concentraçom de salas e de pessoas, e também ocuparemos diferentes espaços ao ar livre: praças, parques, bosques e o terraço do Centro Social. Também poderás fazê-los desde os lugares que tu quiseres, pois teremos algum curso em modalidade virtual.

De quereres participar em cursos de ecologia, género, dança, tecnologia, música, e também em cursos sobre a Covid-19, tens de inscrever-te no mail cursos@gentalha.org até as 16h do dia anterior ao curso. Ao receberes a confirmaçom, também che faremos chegar indicaçons de segurança com as medidas a tomar e lugar específico de onde se fará o curso, já que estará determinado polas condiçons climatológicas.

Preço por curso: 3€ (3’5€ nom sócia) Abono todos os cursos: 8€ (10€ nom sócias)

Preço solidário pola situaçom do Centro Social apôs a Covid: 5€-curso/ 15€-Abono.

Para os cursos em linha haverá opçom de pago telemático que vos indicaremos umha vez fagades a inscriçom.

LEMBRA: INSCRIÇOM OBRIGATÓRIA em cursos@gentalha.org até as 16h do dia anterior ao curso.

 400027200341_187656

CALENDÁRIO + INFORMAÇOM DOS CURSOS

SEGUNDA FEIRA 6 de JULHO

  • Imunologia para dummies: entende os testes da Covid-19. De 19h a 20h com Ángela Santaeufemia. No terraço do Pichel.

Entre o mais demandado hoje em dia pola cidadania estám os testes de deteçom de Covid-19 que podem ser muito úteis no estudo do desenvolvimento, progressom e transmissom da doença. Interessa-nos saber que tipos de provas há, como funcionam, para que servem exatamente, se som fiáveis, qual é a melhor, quando é melhor realizá-la, vantagens e inconvenientes de cada umha e mais questons relacionadas com as técnicas de deteçom da nova enfermidade. Portanto vamos elaborar um guia para aprender a diferenciar os distintos tipos de testes de COVID-19.

  • Todo é relativo? De 20h15 a 21h15 com Marcos Lopes. No salom de atos do CS O Pichel.

Se algumha vez sentiche interesse por conhecer que é isso da Teoria da Relatividade, este é o teu curso. Em pouco mais de meia hora explicaremos em que consiste a teoria, aspetos interessantes do contexto histórico no que se gestou e os fenómenos que explica. Para todos os públicos, independentemente do nível e conhecimento prévios.

 

TERÇA FEIRA 7 de JULHO

  • Projeto Rios no Sarela. De 11h a 14h com Paco Banhobre. Punto de encontro: Moinho do Lermo.

Roteiro polo rio Sarela para inspecioná-lo e conhecer a metodologia de trabalho do “Proxecto Ríos”. Recolheremos invertebrados para determinar a qualidade ecológica do médio aquático.

  • Andar nas nuvens. De 19h a 20h com Benxa Otero. No parque de Belvis (ao lado do campo de futebol)

Deitaremo-nos na erva do parque de Belvis a mirar as nuvens, e falaremos delas, dos nomes que tenhem e dos nomes que lhes pomos, dos filmes nos que saem, ou dos quadros e fotografias, e de todo aquilo que nos surgir.

E se esse dia nom há nuvens, imaginaremo-las!

QUARTA FEIRA 8 de JULHO

  • Desmascarar as nossas interaçons. De 18h a 20h. com Mari Fidalgo.  No Pichel.

O uso de máscaras como medida preventiva frente a contágios faz com que umha boa parte da nossa expressom facial fique limitada, impactando na socializaçom e na comunicaçom com as demais pessoas. Neste obradoiro partilharemos vivências e experimentaremos vias para comunicarmo-nos e interagir de forma mais autêntica.

  • Autodefesa laboral em tempos de pandemia (Para trabalhadoras da privada e do público). De 20h30 a 21h30 com Brais González. . Terraço do Pichel.
    A ideia deste curso é achegarmo-nos às mudanças no mundo do trabalho por causa da COVID-19 e poder fazer-lhe frente aos abusos laborais quer na empresa privada quer no setor público.

 

QUINTA FEIRA 9 de JULHO

  • De grazas a obrigada: “un espello” é “um espelho”. Dicas para escrever na nossa língua. De 18h30 a 19h30 com Alberte, Diego e Raquel da Comissom de Língua da Gentalha. Terraço do Pichel.

Por que escrevemos assim? Oportunidade e dignidade.  Como começar a fazê-lo? Algumhas dicas de como escrever em galego-reintegrado e aproveitar a tecnologia.

  • A saúde dos direitos na Covid-19. De 20h a 21h com Alba Nogueira. Terraço do Pichel.
    A declaraçom do estado de alarme e as medidas de proteçom sanitária tivérom umha resposta normativa intensa que pode ser analisada já avaliando a sua eficácia, respeito do autogoverno e qualidade democrática.  É contraditório proteger a saúde e proteger os direitos da cidadania?

 

SEXTA FEIRA 10 de JULHO

  • Roteiro sobre a problemática ambiental do rio Sar. Às 18h45 na Gentalha com ou 19h na Farmácia de Roxos. Com Pablo Gomez Sande.

Este roteiro interpretativo estará guiado polo biólogo e membro da Plataforma pola recuperaçom do Sar, Pablo Gómez. Nele falaremos sobre usos dos rios e a problemática ambiental do Sar. Visitaremos O Souto, a fábrica do Pego e a ponte Cabirta.

SÁBADO 11 de JULHO No sábado abrimos os cursos em linha!     A partir das 12h e até o último dia da UP poderás visualizá-los com a senha que che achegaremos apôs a tua inscriçom. Poderás consultar dúvidas depois de fazer o curso a través do email da gentalha.

  • Desinfetar-nos sem agredir-nos. Com Laura Picado. Em linha.

Faremos os nossos próprios desinfetantes de maos e superfícies com fórmulas efectivas contra a Covid mas menos agressivas com nós e o meio ambiente.

  • Botando pestes desde o início dos tempos. Com Ana García Earley. Em linha.

Transformaçons sociais e humanas através das pandemias históricas: desde a antiguidade, a gripe de 1918 ou a Covid-19.

  • O que precisas saber da Covid-19. Com Noa Valinho Ferraces. Em linha.

Neste curso trataremos de explicar aspetos gerais sobre a doença ocasionada polo SARS-Cov2, medidas de prevençom, epidemiologia centrada na área de Compostela e outros dados de interesse.

  • Ocupas o meu espaço, a natureza nas praias. Com Mamen López Marcos. Em linha.

As praias tendem a ver-se como o clímax de um relax merecido. Mas som ecossistemas dunares que estám a degradar-se polo turismo de sol. Este curso será um achegamento a esse mundo tam desconhecido.

SEGUNDA FEIRA 13 de JULHO

  • Ecologia na casa: creme dental e colónia. De 18h a 19h30 com Vero Torrijos. No Terraço do Pichel.

Neste obradoiro usaremos ingredientes naturais para fazer creme dental e colónia, sem a necessidade de produtos químicos de síntese ou testados em animais. (Traz um copo com tampa e umha garrafinha onde levares as mostras).

  • Roteiro da memória das mulheres de Compostela. De 18h a 21h. com Encarna Otero. Punto de encontro: As Marias, Alameda.

As ruas de Compostela conservam na sua memória histórias de mulheres, muitas vezes silenciada. Começaremos o roteiro perto das irmás Fandinho Ricart para depois ir polo Vilar, praça do Obradorio, Hortas … e finalizar na Fonte de Santo António, donde Maria Miramontes teve o seu último obradoiro de costura antes da repressom do 36 e posterior exílio a América.

  • Com o pandeiro desde o primeiro. De 20h a 21h com Carme Iglesias. No terraço do Pichel.

Tens um pandeiro na casa e ainda non te atreveste a tocá-lo? Para dar as primeiras passadas chega este obradoiro. Quatro esquinas e quatro ritmos básicos para lançar-se a tocar nas festas que ham de vir. Ribeirana, Jota, Valse, Rumba, e sobremesa surpresa.

TERÇA FEIRA 14 de JULHO

  • Pedalada Patrimonial (ciclo-roteiro). De 18h a 20h30 com a Comissom de História da Gentalha. Punto de encontro: C.S O Pichel.

Propomos-vos um passeio em bici pola contorna da cidade no que aproveitaremos para achegarmo-nos a alguns bens do nosso patrimônio histórico. (Faremos umha rota circular duns 25 km, com 400 m de desnível acumulado, sobre pavimento e pistas de terra)

QUARTA FEIRA 15 de JULHO

  • Jogando  com a luz.  De 18h a 19h. Com estudantado divulgador de Físca da USC. Salom de atos do Pichel.

Pequeno obradoiro interativo no que descubrirás as propriedades mais importantes da luz e as suas aplicaçons . A partir de 8 anos.

  • Entra no baile a bailar(e). Iniciaçom ás foliadas. De 19h30 a 20h30 com Chus Caramés. Ponto de encontro: entrada do CGAC.

Aprende a decifrar e mover-te ao compasso dessa gente que baila quando soam as gaitas e as pandeiretas.

QUINTA FEIRA 16 de JULHO

  • Eco-auditoria da água. De 18h a 19h30 com Vero Torrijos. Na fonte com estanque de Bonaval

Com a metodologia destinada à minimizaçom, neste obradoiro faremo-nos cientes da quantidade de água que esbanjamos diariamente, daremos dicas de aforro e verás os resultados na fatura!

SEXTA FEIRA 17 de JULHO

  • Tonalidade e modalidade na música tradicional e folk. Adaptaçom á gaita galega. De 18h a 20h com David Canto. Em streaming.

Aprenderemos a abordar melodia em modos ou tons pouco acaídos e fazê-los possíveis (ou desbotá-los por completo). Abordaremos desde os modos próprios da música vocal na Galiza opçons de géneros musicais a priori fóra de estilo.

  • Umha achega a bioconstruçom. De 19h a 20h30 com Adrián Senra. Centro Social O Pichel.

Trata-se dumha charla introdutória ao mundo da bioconstruçom na que abordaremos conceptos básicos, sistemas construtivos e pautas a seguir para umha construçom sustentável e respeituosa com o entorno.

  • Iniciaçom ao futebol gaélico. De 19:30 a 20:30h. com Marina Soto. Parque de Belvís.

Um pequeno treino dedicado à gente que nom sabe nada, sabe um bocadinho ou leva anos praticando o desporto. Falaremos das bases do futebol gaélico, dos princípios da Liga Gallaecia e faremos jogos próprios do treino de gaélico adaptados à situaçom atual.

 

UNIVERSIDADE POPULAR 2020

16 de Junho de 2020

book-2869_1920Mais um ano, desde a Gentalha do Pichel estamos a pensar na Universidade Popular que decorrerá do 6 ao 17 de julho.
Este ano, para respeitar as normas de segurança, faremos cursos ao ar livre, limitará-se o aforo às atividades e combinaremos com formaçons on-line.
O que segue presente é a vontade de construirmos coletivamente e pôr em valor os saberes populares. É por isso que se tiveres umha ideia que oferecer, convidamos-te a escrever-nos a gentalhadopichel@gmail.com com a tua proposta.
A Universidade Popular, mais que nunca, fazemo-la entre todas!

ativismo sim, responsabilidade também

15 de Junho de 2020

ATIVISMO SIM, RESPONSABILIDADE TAMBÉM

Atualizamos a lista de medidas a tomar no local social durante a quincena de 15 junho – 28 junho
- A abertura em horário habitual e o serviço de balcom continuam cancelados.
- O local está disponível para reunions e/ou ensaios musicais sempre e quando se figer reserva com umha antelaçom mínima de 48h escrevendo para gentalha@gentalha.org
- O uso da máscara será obrigatório sempre e quando nom se poda garantir umha distáncia mínima de 2m.
- Permitiram-se reunions simultáneas no terraço e no salom de atos.
- O máximo de pessoas reunidas no terraço será de 20 e no salom de atos, de 15.
- Os grupos musicais usuários do local de ensaio com mais de 4 integrantes poderám ensaiar no salom de atos sempre e quando nom se requira mover instrumental aparatoso como a bateria.
- Tanto grupos musicais como grupos que se reunem devem desinfectar todas as superfícies tocadas e/ou manipuladas seguindo as instruçons indicadas nos cartazes colados no local.

Captura de pantalla_2020-06-15_16-52-02