foliada de inicio de curso

23 de Setembro de 2021

FOLIADA VERMUTEIRA

Arranca o curso e chegam mais foliadas!!

Este sábado nom podes faltar à sessom vermute da Gentalha. A partir das 12h30 e até as 17h00, as portas do centro social estaram abertas à música tradicional.

Vem, trai o teu instrumento (e algo de comer) e ganas de foliar!

242739949_3018747428395638_5643642605074747948_n

Cursos do Pichel 2021/2022.

9 de Setembro de 2021

Mais um ano retomamos a nossa actividade cultural a través dos cursos, pois som básicos para a vida do centro social a nível económico, ao tratar-se dum projeto totalmente autónomo e autogerido, mas também a nível associativo, já que deles surdem novas activistas, muitas amizades, ideias que quecem O Pichel e lhe dam razom de ser. É por isso que, também neste ano difícil, queremos voltar a oferecer-vos os nossos cursos, mas sempre tentando cuidar-nos a todxs.

Neste ano seguimos com as medidas que adoitamos o ano passado para garantirmos um espaço de aprendizagem e lecer seguro.

LEMBRAI:
É necessário associar-se ao Pichel (quota mínima de 3€) ——– Cursos sem matrícula ——– Depósito dumha mensalidade a maiores a começo do curso que será devolto no caso de avisar com um mês de antecedência da baixa do curso. O pessoal que fique até o fim do curso nom terá que pagar o último mês graças a este depósito ——– Preço mensal ———– Pagamento na primeira semana de cada mês.

Inscriçons e mais info em cursos@gentalha.org

photo1631099852

CURSOS DE MANHÁ

  • Canto e Pandeireta.  

- Iniciaçom. Segundas-feiras de 11h15 a 12h15. Começo 4 de Outubro. Preço 15€

- Intermédio. Segundas-feiras de 12h30 a 13h30. Começo 4 de Outubro. Preço 15€

As aulas de pandeireta e canto virám da mao de Carme Iglesias, integrante das Pandeireteiras Bouba, da Pontragha. As pessoas velhas da comarca, de quem aprendeu a música, estám presentes no seu modo de tocar e ensinar. De Tordoia portas para fora… Começa a rota da pandeireta!

  • Iniciaçom à dança tradicional.      
    Quintas-feiras de 12h30 a 13h30. Começo 7 de Outubro. Preço 15€. Número mínimo de participantes: 6 pessoas.

Estas aulas estam pensadas para todas aquelas pessoas que desejam entrar a bailar nas foliadas, seráns, ruadas e demais festas populares. Vamos aproximar-nos ao básico da dança tradicional, com a olhada popular e de gênero, explorando a criatividade, espontaneidade e recursos de cada uma. A encarregada será Claudia Fidalgo , uma moça da Canhiça nascida na Bahia, que começou a dançar de pequena, passou por agrupaçons da cidade, e a dia de hoje segue aprendendo com mestras de todo o país.

 

  • Dança tradicional para quem sabe um chisco.
    Quintas -feiras de 11h15 a 12h15. Começo 7 de Outubro. Preço 15€. Número mínimo de participantes: 6 pessoas.

Se passaste por iniciaçom e queres continuar a aprender pontos para divertir-te nas foliadas este é o teu curso. Será com Claudia Fidalgo.


CURSOS À TARDE

  • Dança tradicional para quem nom sabe nada (Iniciaçom)    
    Quartas-feiras de 19h a 20h ou de 20h15 a 21h15 (Oferecemos duas quendas distintas para iniciar-vos). Começo 6 de Outubro. Preço 15€.

Ensinada por Chus Caramés, que há décadas que anda no baile galego. Começa de mui novinha na agrupaçom folclórica da sua terra natal e a dia de hoje continua aprendendo da man das nosas pessoas velhas e em festas e foliadas. Além de bailadora e pandeireteira, é a organizadora dum evento muito importante para a música tradicional do país, “os Encontros de Música Tradicional de Carvoeiro”.

 

  • Dança tradicional para quem sabe um chisquichinho (Intermédio I)   
    Terças-feiras de 19h a 20h. Começo 5 de Outubro. Preço 15€

Se já foste um aninho a dança ou há tempo que deixaste de bailar e apenas lembras o básico, este é o teu curso! Aqui afiançarás o aprendido e darás umha volta para continuares a desfrutar das festas e foliadas. Quem te ajudará será Carme Campo, quem aprendeu os primeiros pontos no Porrinho, aperfeiçoou-nos num grupo de Compostela e agora mantém-se aprendendo no dia a dia, em seráns e festivais de música tradicional.

  • Dança tradicional para quem sabe um chisquinho (Intermédio II)    
    Terças-feiras de 20h15 a 21h15. Começo 5 de Outubro. Preço 15€

Se tes dominados os movimentos mais básicos e queres afondar um chisco mais e de jeito mais rápido nos movementos da dança que adoitam sair nas festas e foliadas, e se tes vontade de aprender a complicá-los um chisco mais, prova neste curso! Quem te ajudará será Carme Campo.

  • Dança tradicional para quem sabe um chisco (Pre-aperfeiçoamento)    
    Quintas-feiras de 19h30 a 20h30. Começo 7 de Outubro. Preço 15€

Depois de afondar de jeito mais rápido nos movementos da dança que adoitam sair nas festas e foliadas, aprenderemos mais movimentos aplicando técnica, complicaremo-los vendo passos mais peculiares de diferentes zonas da Galiza e criaremos os nossos próprios passos baseando-nos nesses movimentos que levamos aprendidos desde que começamos a bailar. A mestra será Carme Campo.

 

  • Dança tradicional para quem sabe um chisco mais (Aperfeiçoamento)    
    Segundas-feiras de 22h a 23h. Começo 4 de Outubro. Preço 15€

Com Fuensanta Nieto aprenderemos alguns bailes de diferentes zonas para podermos continuar a participar ativamente em festas e foliadas, além de aperfeiçoar as técnicas do baile que já temos aprendidas doutros anos.

  • Gaita.    

- Iniciaçom: quintas-feiras de 17h a 18h. Começo o 7 de Outubro. Preço 18€

Este curso centrará-se em adquirir as destrezas básicas do instrumento, assi como noçons mínimas de solfejo e ouvido, e posta em comum dum repertório singelo.

- Aperfeiçoamento: segundas-feiras de 18h a 19h15. Começo 5 de Outubro. Preço 18€

Este curso destinara-se à aprendizagem dum repertório comum e arranjado para a interpretaçom em distintos formatos de agrupaçom.

A professora em ambos níveis será Andrea Pérez, saxofonista e gaiteira iniciada na música tradicional em Santiago de Compostela, recebendo formaçom de gaita com David Canto e Pablo Dalama e estudando saxofom no conservatório professional. Exmembro do grupo folk Sessión Vermú como saxofonista e gaiteira, actualmente forma parte de agrupaçoms como Brassica Rapa ou Biribirlocke, e tem colaborado com a Pablo Castanho-Marcos Pin Jazz Orchestra.

 

  • Canto e Pandeireta.    

Avançado : segundas-feiras de 19h30 a 20h30. Começo 4 de Outubro. Preço 15€

Intermédio II: segundas-feiras de 20h45 a 21h45. Começo 4 de Outubro. Preço 15€

As aulas de pandeireta e canto virám da mao de Carme Iglesias, integrante das Pandeireteiras Bouba, da Pontragha. As pessoas velhas da comarca, de quem aprendeu a música, estám presentes no seu modo de tocar e ensinar. Desde Tordoia portas para fora… Começa a rota da pandeireta!

 

  • Introduçom à língua árabe: um enfoque integrado
    Quartas-feiras de 17h30 a 18h30. Começo 6 de Outubro. Preço 20€
    Curso trimestral com a possibilidade de ampliar 3 meses mais.

Estudar árabe pode soar complicado, e… si que o é, nom vos vamos enganar, mas quem nom gostaria de poder entender umha escritura tam bonita? O ensino tradicional do árabe sempre se centrou no conhecido como “árabe clássico”, mais como bem sabemos no nosso país, a diglosia pode fazer-nos viver situaçons muito incómodas, e isto é umha constante para qualquer estudante de árabe. Já que logo, neste curso enfrentaremos ao estudo da língua desde um enfoque novidoso combinando desde o começo o estudo do estándar junto com o do árabe falado do dialecto levantino (Jordania, Palestina, Síria e Líbano).
Quem te ajudará e acompanhará neste caminho é Luis Melián, arabista e apaixonado das línguas com ampla experiência em vários países árabes.

  • Clube de Desenho Criativo.

Este ano começamos com o Clube Criativo!
A ideia é experimentar com todas as formas de desenhar, lápis de cores, marcadores, tintas, papéis…aprender umhas das outras e partilhar as nossas criaçons co grupo.
Se tes vontade de relaxar a tua mente e desfrutar provando novas técnicas, inscreve-te no grupo.
Nom importa o nível, se apanhas o lápis umha vez ao ano ou se desenhas todos os dias, aprenderemos cousas juntas!
Se queres participar manda um mail a cursos@gentalha.org para ver de fazermos grupo e procurar datas que nos venham bem a todxs.

  • Teatro   
    Terças-feiras de 21h30 a 23h30. Começo 5 de outubro. Preço 25€.

Neste obradoiro pretendemos investigar, através dos vários níveis de expressom que oferece o Teatro, o interior e o arredor de cada pessoa que conforme o grupo, assim como a interacçom do mesmo grupo, concluindo com umha representaçom cénica.

Trabalharemos basicamente cinco vertentes: a expressom (oral e corporal), a imaginaçom e a criatividade, a comunicaçom, o autoconhecimento e a abordagem cultural. Salientar o carácter lúdico e de dinamizaçom social que implica a prática teatral.

Zé Paredes, o professor, é ator e diretor de cena dedica-se à atividade profissional do teatro desde o ano 1996. Iniciou a sua formaçom no Porto, no Ballet-Teatro Escola Profissional. Em 2001 estabelece a sua relaçom com o teatro galego, através dumha coproduçom entre o Teatro do Noroeste, a Companhia de Teatro de Braga e o Centro Dramático Galego. Vive na Galiza desde 2002, tendo sido coordenador da Aula de Teatro da Universidade da Corunha e junto com Mónica Camaño cria o projeto Teatro Nu.

  • Guitarra

Nível I: quartas-feiras de 18h a 19h. Nível II de 19h15 a 20h15. Começo 6 de Outubro. Preço: 23€.

Som ideais quer para gente que começa do zero, quer para quem já tem um nível intermédio. Nelas, trabalharam-se harmonia e técnica de forma conjunta, a un nível mui básico. A ideia é fazer aulas engraçadas onde a criatividade e a improvisaçom tenham um papel importante. Tocaram-se temas de diversos estilos. O professor será Benjamín Vázquez, professor em educaçom musical e atual guitarrista de The Lákazans.

atividades no Pichel na última semana de julho

28 de Julho de 2021

Despedimos o mês de julho com duas atividades moi diferentes.

Na quinta-feira 29 (20h00) a Helena Domínguez apresenta o seu livro “A construción mediática do conflito. O caso de Resistência Galega” acompanhada das editoras de Axóuxere e de Borxa Colmenero.

E7UOFkCXoAEXkM7

Sábado 31 de 12h00 a 19h00 a gente da moeda galega A Sabia organiza um feirom onde haverá um jantar, troco de moedas e artigos de segunda mao assim como debate arredor da moeda.

E7PhS5kX0AEAcdM

Universidade Popular de Verao 2021!

28 de Junho de 2021

Mais um verao, partilhamos conhecimento, entre todas e desde a base!

De 7 a 20 de Julho, programamos diferentes cursos onde dúzias de pessoas partilharám saberes, experiências e reflexons. Este ano volvemos esticar os cursos no tempo e também no espaço, polo que a Universidade durará quase duas semanas para evitar concentraçom de salas e de pessoas, e também ocuparemos diferentes espaços ao ar livre: praças, parques, bosques ou o terraço do Centro Social. Também poderás fazê-los desde os lugares que tu quiseres, pois teremos algum curso em modalidade virtual.

De quereres participar em cursos de ecologia, género, dança, tecnologia, ciência ou música tens de inscrever-te no mail cursos@gentalha.org até as 16h do dia anterior ao curso. Ao receberes a confirmaçom, também che faremos chegar indicaçons do lugar específico onde se fará o curso, já quealgúm estará determinado polas condiçons climatológicas.
As vagas som limitadas, polo que é muito importante que anules a reserva se finalmente nom podes assistir.

Preço por curso: 3’5€.  Abono todos os cursos: 10€ (12€ nom sócias)

Preço solidário pola situaçom do Centro Social apôs a Covid: 5€-curso/ 15€-Abono.

LEMBRA: INSCRIÇOM OBRIGATÓRIA em cursos@gentalha.org até as 16h do dia anterior ao curso. Vagas limitadas!


photo1624605568

 

QUARTA FEIRA 7

  • Elemental querido Schrödinger. De 18h a 19h com Cibrán Santamarina.

Este curso pretende introduzir conceptos de física quântica para quem nom entende fazendo algum experimento “in situ”. A charla inclui também notas históricas, particularmente a presença de Erwin Schrödinger, quem formulou a famosa equaçom que leva o seu nome, em Santiago em 1934 na que foi a primeira visita dum prémio Nobel a Galiza.

  • Entra no baile a bailar(e). Iniciaçom às foliadas. De 19h a 20h com Chus Caramés.
    Aprende a decifrar e mover-te ao compasso dessa gente que baila quando soam as gaitas e as pandeiretas.

  • Roteiro modernista.De 20h15 a 22h15 com Afonso Pena. Ponto de saída: às 20h no C.S. O Pichel.

A arquitetura modernista compostelá fica oculta pelos seus famosos prédios románicos e barrocos, mas entre os muros do casco velho e fora deles achamos destacados exemplos da Art Noveau, assinados por arquitetos como Palacios, López de Rego ou Franco Montes.

 

QUINTA FEIRA 8

  • A desconhecida fauna compostelana. Às 17h com João Aveledo. Ponto de saída: CS O Pichel.

Um roteiro para ir descobrindo alguns dos animais que habitam na nossa cidade e as chaves que explicam a surpreendente biodiversidade dum meio tão artificial como o urbano.

  • Trebelhando com a equipa de som do Pichel. De 18h a 19h30 com Miguel Valcarcel.

Arredor da mesa de mesturas aprenderemos o básico para sonorizar um evento com recursos limitados.

  • Um mar de peixes. De 19h30 a 20h30 com Nacho Munilla.

Tomando como referência a Guía Definitiva dos Peixes da Galiza faremos umha introduçom à fauna de peixes dos mares galegos e a sua ecologia. Pensaremos ademais quais critérios singelos poderiam guiar o nosso consumo de peixe.

  • Dicas veterinárias para conviventes com caninas e felinas. De 20h30 a 21h30 com María Gómez.

Conselhos para o dia a dia. Guia básico de primeiros auxílios e reconhecimento de urgências.

 

SEXTA FEIRA 9

  • Iniciaçom ao marxismo. De 12h a 13h com Maurício Castro.

Recursos para aprendermos marxismo na nossa língua.

  • Técnicas de reanimaçom cardiopulmonar (RCP). De 18h a 19h com Laura García e Noa Valiño.

Dicas básicas e fundamentais para realizar os primeiros passos dumha RCP que formem a cadeia de sobrevivência e ajudar a salvar umha vida.

  • Desenhar com papéis (collage criativa) Atelier criativo de collage. De 19h15 a 21h com Sabela Iglesias.

Logo de ver exemplos inspiradores e conhecer a técnica, faremos a nossa própria criaçom, reapropriando-nos de imagens e dando-lhes um novo sentido! Traz vontade de experimentar e a criatividade acompanhará-nos!

FIM DE SEMANA

No sábado 10 e no domingo 11, as pessoas que adquiriam bono, teram a possibilidade de visualizar em qualquer momento da fim de semana os seguintes cursos em linha:

  • Desinfetar-nos sem agredir-nos. Com Laura Picado.

Faremos os nossos próprios desinfetantes de maos e superfícies com fórmulas efectivas contra o coronavirus mas menos agressivas connosco e o meio ambiente.

  • Botando pestes desde o início dos tempos. Com Ana García Earley. 

Transformaçons sociais e humanas através das pandemias históricas: desde a antiguidade, a gripe de 1918 ou a Covid-19.

  • Ocupas o meu espaço, a natureza nas praias. Com Mamen López Marcos. 

As praias tendem a ver-se como o clímax de um relax merecido. Mas som ecossistemas dunares que estám a degradar-se polo turismo de sol. Este curso será um achegamento a esse mundo tam desconhecido.

SEGUNDA 12

  • Percurso da Flora Punk. De 18h a 20h com Tino Quintela. Saída desde o CS O Pichel até o Monte de Deus.
    Percurso da flora punk: plantas da vila (e do monte) que fazem tudo elas mesmas.

  • Selfies, retratos e feminismos. De 18h30 a 20h30 com Charo Lopes.

O obradoiro é teórico-práctico, com exemplos para achegar-nos a ler as distintas camadas de informaçom dumha fotografia e complementa-se com exercícios para experimentar e reconhecer os matizes da autorepresentaçom com perspectiva feminista.  Será necessário que cada participante traia um telemóvel com cámara.

  • A ritmo de colheres! De 20h30 a 21h30 com Carme Iglesias. 

Repara nesses pequenos artilúgios com os que fazemos música em festas e sobremesas. Da cozinha à foliada, da cunca ao torreiro…. e tu, ainda nom tocas as colheres?
Arma-te com 3 colheres sopeiras e aprende os ritmos básicos para surpreender nas ruadas deste verao.

 

TERÇA FEIRA 13

  • A problemática dos vertedoiros encobertos em ocos mineiros: a Canteira de A Casalonga. Às 10h, com a colaboraçom da Plataforma Casalonga Limpa de Resíduos. Ponto de saída: gasolineira da Casalonga.

O percurso deste roteiro oferece umha visita através da canteira de A Casalonga onde se explicará ‘in situ’ a dimensom do problema medioambiental que pode implicar para umha contorna a possibilidade de converter-se em zona de tratamento de resíduos.

  • Serigrafia caseira. De 16h30 a 18h30 com Elena Penas. 

Como personalizar os teus desenhos com recursos ao alcance de todas.

  • Dicas para entendermos a seçom de notícias internacionais. De 19h a 20h com Óscar Valadares de Mar de Lumes.

Um percurso à procura do que, quem, o como e o por que da informaçom internacional que consumimos cada dia e do que isso implica na nossa interpretaçom dos conflitos e as relaçons entre países e povos.

  • Da Lager à Ale sem complexos. Dicas para pedir umha cerveja. De 20h30 a 21h30 com Pedro Villarino.

Com a irrupçom no universo tasqueiro das chamadas cervejas artesanais o tema de tomar umha birra foise-nos das maos. Com este curso tentaremos situar-nos um pouco neste variado mundo, conhecendo a sua história e as variedades mais comuns que se podem atopar em qualquer taberna.
Este curso tem o custo de 3€ a maiores por materiais.

 

QUARTA 14

  • De “cartel” a “cartaz”. De 16h a 17h com a Comissom de Língua da Gentalha.

Por que escrevemos assim? Oportunidade e dignidade.  Como começar a fazê-lo? Algumhas dicas de como escrever em galego-reintegrado e aproveitar a tecnologia.

  • Genética de classe. De 17h30 a 18h30 com Eva Cortinhas.

Há genes de pobres e de ricos? Está a inteligência  escrita nos genes? Das ervilhas do Mendel à justificaçom científica das desigualdades e totalitarismos.

  • Ediçom de vídeo. De 19.00h a 20h30 com Irene Pin. 

Queres tirar o máximo partido dos teus vídeos, mas nom sabes como? Neste curso aprenderás o básico sobre ediçom audiovisual, com dicas práticas e software livre. Conta histórias, elabora material educativo ou faz-te youtuber! Só precisas trazer o teu computador!

 

QUINTA 15

  • Jogança! Aprender dança brincando em família. De 11h30 a 12h30 com Claudia Fidalgo.

Que passa se unimos o jogo e a dança? Pois teremos uma jogança! Através de jogos populares aptos para todas as idades, aprenderemos os movimentos e estruturas básicas da dança tradicional.
Curso orientado a crianças (a partir de 3 anos) acompanhadas de adultas.

  • Obradoiro de Comprestelas. De 16h a 18h30.

Para aprender a fazeres a tua própria comprestela com materiais reciclados e promover a sustentabilidade também no campo da mestruaçom.
Trai aquilo que tenhas por casa que che pode servir (camisolas velhas de algodom, teia de guardachuva, toalhas, agulha e fio

  • O mundo desde umha olhada cíclica (educaçom menstrual). De 19h a 21h com Bárbara Penas.

Através das 4 fases das que se compóm o ciclo menstrual, iremos vendo o que passa no nosso corpo e as nossas emoçons. Veremos que entender esta engrenagem nos pode ajudar a compreender melhor esses processos corporais polos que passamos as pessoas menstruantes mês a mês, a respeitar os nossos corpos assim como as nossas necessidades. Falaremos de sexualidade e prazer, assim como de apoios amorosos que nos acompanhem na nossa ciclicidade e faremos dinámicas corporais, atividades de autoconhecimento e explicaçons. Vem com roupa cómoda!

  • Por Compostela, melhor em bici! Às 20h com a Asociación Cívica Composcleta.  Punto de encontro: Praça 8 de março.

Gostas de andar de bici mas nom a usas para deslocar-te pola cidade? Nom te atreves a partilhar espaço com os carros e demais tránsito que ocupa as ruas? Nesta atividade faremos um repasso às normas básicas para circular seguras pola cidade, daremos algumhas recomendaçons, veremos os pontos básicos de manutençom da bici e finalizaremos com umha aula prática pola rua.

 

SEXTA 16

  • Olha, um bicho ferido! O que fazemos?. De 17h a 20h com Diego Vázquez.
    Com frequência nas cidades ou nos entornos urbanos pegamos com animais nom domésticos feridos e adoitamos fazer o que nom se deve. Com este pequeno curso terás umhas quantas chaves sobre como atuar quando atopes algum animal nom doméstico ferido.
    Começamos no Pichel para logo irmos de rota polas Branhas do Sar.

  • Desbloqueia a tua criatividade desenhando. De 19h a 21h com Lucia Jurjo.

 Técnicas para combater o folio em branco. Linhas, manchas, recortes para tirar o teu cérebro do sofá. Preparada para desfrutar como umha cativa com um marcador?

 

SÁBADO 17

  • Aprende a fazer um tiracroios. De 12h  a 13h com Daniel Matalobos. 

Separa os olhos do ecram e bota-te ao monte. Aproveita o que lá tés à mau para construir o teu próprio brinquedo . Jogas connosco?  As crianças deverám vir acompanhadas de umha adulta. Trai a tua navalha.

 

SEGUNDA 19

  • Um passeio histórico por Figueiras. Às 17h com André Seoane. Ponto de encontro: na Semente das Moas (Moas de Abaixo, 20).

Achegamo-nos à paróquia de Figueiras para olhar com os óculos de historiadora os vestígios do passo do tempo numha das paróquias periurbanas da nossa cidade.

  • Somos os homens que queremos ser? De 19h a 20h30 com integrantes do grupo de homens Cebolos, de Compostela. 

Através dumha série de exercícios indagaremos nas caraterísticas da masculinidade hegemónica e no seu impato em nós e nas pessoas que nos rodeiam. Atividade nom mista, só para homens.

  • Libera o teu computador. De 21h a 22h com Guilherme Brea. 

Trae o teu aparelho e une-te ao software livre. Descarrega um sistema operativo livre, prova-o no teu computador, instala-o se queres e leva-o para a casa.

TERÇA 20

  • Violência vicária. De 17h30 a 18h30 com Sabela Losada e Isabel Taboada de Materfem. 

Por mor dos acontecimentos das últimas semanas tem-se popularizado nos meios o conceito de violência vicária, umha forma de violência que o Parlamento Galego vem de incluir dentro da Lei para a prevençom e o tratamento integral da violência de género. Neste curso realizaremos umha aproximaçom às violências machistas, em concreto às que afetam às mulheres na maternidade. Falaremos da violência vicária e o panorama legal no que se insere.

  • Saber e Safar. De 19h a 20h com Ceivar. 

Es das ativistas que sabem os seus direitos? Das que safam das sançons? O Saber e Safar é um concurso de perguntas e respostas sobre situaçons que se podem dar em manifestaçons ou concentraçons, como identificaçons, detençons, sacar fotos ou vídeos…um jeito mais divertido de conhecer os nossos direitos como ativistas e como atuar nestas situaçons.

  • Curiosidades científicas. De 20h a 21h com Marcos López.

Que som as auroras boreais? Por que se di que somos po de estrelas? Podemos viajar no tempo? Como funciona a prova do carbono-14? Que é isso da matéria e energia escuras? Existem outros planetas habitáveis no Universo? Neste pequeno curso tentaremos saciar a nossa curiosidade científica dando respostas a estas e outras interessantes incógnitas. Nom se precisa formaçom especifica prévia..

NOVO HORÁRIO

1 de Junho de 2021

A partir do mês de Julho, o horário do Centro Social é:

➡️De segundas a quintas feiras de 18h a 23h
➡️Sextas feiras e sábados de 19h a 00h

WhatsApp Image 2021-06-01 at 18.02.09

 

A Vila no Pichel

30 de Maio de 2021

Conhecedes o fermoso projeto musical de Ricardo Marcos Casás Fuliada na Vila? E o maravilhoso documentário de Alejandro Gándara e Olaia Tubio, Dorothé na Vila?
Ambos trabalhos revisitam o labor da etnomusicóloga suiça Dorothé Schubarth na Galiza, a maior recompiladora da nossa música tradicional.

O sábado 5 de junho poderás conhece-los,
Às 13h30 tomaremos o vermú com a apresentaçom do livro-CD “Fuliada na Vila”, onde Richi falará sobre as recolhas que Dorothé fixo as suas avoas na Vila da Eirexa, Cerceda, e interpretará varias dessas pezas.

Depois, foliada e jantar! Trazede instrumentos e tupper para comer no Pichel. Também teremos algo de comida á venda.

Às 16h30 projetaremos “Dorothé na vila”, um documentário que segue os passos de Dorothé 40 anos depois para volver escoitar a aquelas informantes plasmadas no Cancioneiro Galego.
Ao rematar teremos colóquio com as suas diretoras, Alejandro Gándara e Olaia Tubio.
Nom se nos ocorre melhor maneira para honrar a Santa Ferrenha de Carvoeiro no dia da sua festa, já que nom podemos ir até lá de romaria.
O bilhete para o documentário som 2€. Reservas em gentalha@gentalha.org
193426031_2929926507277731_923020941271998430_n

a gentalha está de volta

5 de Abril de 2021
Nom procures escusas para sair da casa
VOLTAMOS!
168916116_2888671991403183_5918335993257721622_n

O carro de Conjo. As invasons bárbaras do Entruido compostelano (1875-1894)

10 de Fevereiro de 2021

maxresdefault

5a57194da9bae-1o.oshomesdebrigantia...

“El Martes de Carnaval vinieron el carro de Conjo, el de Puente Pedriña y el de Santa Marta, revestidos de ramos de acácia, laurel y conduciendo varias tribus de turcos y aun de turcas.
Cada cual ostentaba en la trasera un espantajo en representación del Dios Momo. Este maniquí, carnaval ó Antroido (según el dialecto del pais) vestia en el carro de Conjo uniforme de soldado español.
¡Vaya unas bromas se gastan los rurales del ayuntamiento vecino!
Ya sabes que los Cortesanos de estos reyes de paja, que tanto los veneran y adulan en su trayecto por las calles, les dan un puntapié quemándolos en seguida, asi que tornan á la aldea”
El Diario de Santiago, 15/02/1875

Ler mais »

Carvom, jugos e frechas. A configuraçom franquista das cavalgadas de Reis

6 de Janeiro de 2021
photo6030551224148931785

Neste texto explicamos como a celebraçom dos reis Magos era apenas um reclamo comercial -residual- antes do 36 e completamente alheia às casas das classes populares compostelanas. Por sua vez, a celebraçom observável na atualidade, um produto franquista que chega até os dias de hoje.

Pequena reflexom sobre o ano 2020

2 de Janeiro de 2021
“Ainda que vivim pouco, muito sonhei”
Esta frase de Carvalho Calero pode resumir mui bem este 2020 que vem de finalizar. As vivências que tivemos neste duro ano nom forom muitas. As poucas atividades que pudemos levar avante polas necessárias restriçons para afrontar a pandemia repousam na memória deste coletivo pois nom abundárom ao longo destes 9 meses que levamos vividos dumha maneira que nunca imaginamos, mas ajudárom a manter vivo o nosso débil pulso: as aulas online permitirom-nos continuar a aprender desde a casa, as foliadas na cozinha ajudárom a distrair-nos durante o confinamento, a Universidade Popular conseguiu juntar-nos de novo nas saídas e roteiros, etc.
A pandemia também freou a atividade das comissons de trabalho, impossibilitou-nos celebrar eventos já consolidados no ano como a Festa do Dezassete, a cacharela do Sam Joam ou o guateque de Inverno, e impediu homenagear como se merece o ano Carvalho Calero.
O confinamento e as restriçons de capacidades tenhem posto numha situaçom mui precária a todo o seitor cultural da cidade nom ficando isentas disto. A pandemia afectou de cheio à linha de flotaçom da nossa associaçom cultural e o centro social, pondo em risco a sua viabilidade económica, afetando enormemente o decorrer das aulas dos nossos cursos, impossibilitando o mantemento do posto da pessoa trabalhadora, reduzindo ao mínimo a nossa programaçom cultural. Mas também recebemos um forte alento de toda essa gentalha que estades por trás e que definides o que somos. Queremos agradecer de novo ao professorado que nom duvidou em buscar o jeito de manter as aulas e logo adaptar as ensinanças e os ritmos às lotaçons, ao alumnado que mantivo a matrícula desde a distáncia e que depois confiou nos protocolos e medidas tomados no CS, às associadas que mantivestes ou mesmo incrementastes a quota, às pessoas que acudirom às poucas atividades que fomos capazes de levar avante, às anónimas que decidisteis colaborar economicamente comprando material ou fazendo umha achega oferecendo-nos umha bolha de oxigénio para continuar a resistir. A todas vós, OBRIGADAS.
Mas durante estes meses também sonhamos, como levamos fazendo desde a posta em marcha deste projeto cultural e como leva feito o movimento popular e associativo da cidade (é de sinalar como em tempos tam escuros e difíceis como os que nos tocou viver a escola popular de ensino em galego que ajudamos a criar acadou o financiamento necessário para fazer-se com um prédio no que centralizar a escola de infantil e primário), fazendo-nos manter a tensom e os nossos hábitos de trabalho que preparam o caminho dos novos e ambiciosos -tendo em conta as nossas possibilidades- projetos que venhem. Os nossos grandes sonhos de mudança e transformaçom social do País, de recuperaçom e valorizaçom do galego, de superaçom do atual modelo económico depredador, da igualdade efetiva entre mulheres e homens, continuam, se cabe, mais presentes que nunca. Porém, também temos anelos mais humildes como recuperar a nossa atividade habitual, degustar os petiscos do bar, demonstrar nas foliadas que sabemos os pontos que as profes nos tenhem aprendido, desfrutar da música ao vivo das bandas emergentes galegas, despedir o Esteban com a festa que se merece, saltar de novo o lume na noite do 23 de junho, e um longo etcétera. Se estamos mais perto de consegui-lo é graças a todas vós.